>
Como qualquer um pode lhe dizer, não sou um homem muito bom. Não sei que palavra usar para me definir. Sempre admirei o vilão, o fora-da-lei, o filho-da-puta. Não gosto dos garotos bem barbeados com gravatas e bons empregos. Gosto dos homens desesperados, homens com dentes rotos e mentes arruinadas e caminhos perdidos. São os que me interessam. Sempre cheios de surpresas e explosões. Também gosto de mulheres vis, cadelas bêbadas que não param de reclamar, que usam meias-calças grandes demais e maquiagens borradas. Estou mais interessado em pervertidos do que em santos. Posso relaxar com os imprestáveis, porque sou um imprestável. Não gosto de leis, morais, religiões, regras. Não gosto de ser moldado pela sociedade.
Charles Bukowski.  (via oxigenio-dapalavra)

(Source: s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)

Reblog this
2,782 notes   -   Posted 1 week ago


Reblog this
Posted 1 month ago

Difícil mesmo é perceber que a outra pessoa não valoriza nada que você faz por ela. É notar que quando você mais precisa o outro te vira as costas. É constatar que existe ingratidão e desamor. É ter a certeza que a amizade, o respeito e o carinho não são uma vida de mão dupla.
Clarissa Corrêa.   (via nobroke)

(Source: klippen)

Reblog this
6,533 notes   -   Posted 1 month ago

E eu gostaria muito de poder acreditar nas pessoas e que fosse recíproco em relação aos seus sentimentos, mas não são. Elas mentem, elas fingem e principalmente, elas somem.
Juliana Aquino.  (via discursei)

(Source: nevoeirar)

Reblog this
9,105 notes   -   Posted 1 month ago


Reblog this
55,800 notes   -   Posted 1 month ago

Sempre me senti diferente dos outros. Não mais bonita, não mais inteligente, não mais especial, não mais esperta, não mais maluca, não mais legal, apenas diferente. Sou diferente na forma de sentir, tudo que me toca, me toca fundo. Tudo que me alegra, me alegra muito. Tudo que me dói, dói forte, corta.
Tati Bernardi.   (via inverbos)

(Source: classificar)

Reblog this
32,348 notes   -   Posted 1 month ago

Confesso que ando muito cansado, sabe? Mas um cansaço diferente… Um cansaço de não querer mais reclamar, de não querer pedir, de não fazer nada, de deixar as coisas acontecerem.
Caio Fernando Abreu.   (via nobroke)

(Source: prestigiador)

Reblog this
5,672 notes   -   Posted 1 month ago


Reblog this
6,721 notes   -   Posted 1 month ago

Por onde andam aqueles que amei?
Reblog this
Posted 2 months ago

Alguns dias de sorrisos, alegrias e abraços, outros chuvosos e chatos, alguns de felicidade infinta, outros da pior agonia, alguns dias até são marcantes, outros sufocantes, alguns dias eu gosto, outros eu desgosto, choco e revogo, alguns dias eu sinto muito, outros eu tenho o mundo, algum bom dia eu desando daqui com você e não tô nem ai, outros eu prefiro ficar assim, distraído até o fim. Tem alguns que eu agradeço ainda sentir algo, outros eu quero jogar minha bagagem pro alto, tem dias em que eu quero cantar mil amores, outros eu só quero contar as dores, talvez tudo muito complicado, ou talvez esse tal de amor que seja errado
http://coisas-que-guardei.tumblr.com/
Reblog this
Posted 2 months ago

Eu não sou amargo. É que, às vezes, a vida rouba a nossa doçura.
Eu me chamo Antônio.   (via reerguer-se)

(Source: outonus)

Reblog this
13,041 notes   -   Posted 2 months ago

Eu não quero ser a paixonite de ninguém. Se alguém gosta de mim, eu quero que goste de mim de verdade, e não pelo que pensam que eu sou. E não quero que carreguem isso preso por dentro. Quero que mostrem para mim, para que eu possa sentir também.
As vantagens de ser invisível (via romanteios)
Reblog this
15,697 notes   -   Posted 2 months ago

Olhando assim, ninguém diz. Mas há toda uma explicação do porquê eu ser desse jeito. Só eu mesmo, que sempre estive comigo, aguentando as barras, as rupturas, os socos na cara.
Gabito Nunes.  (via romanteios)

(Source: recitarpoesias)

Reblog this
74,505 notes   -   Posted 2 months ago

Eu gosto é do alarde, da bagunça, da confusão e da noite, odeio paquidermes, desaforos e desaforados, desgosto quando calo o verbo e me faltam palavras, pois muitas tenho e esbanjo este linguajar chulo, com alguns palavrões que aprendi na escola. Quem disse que na escola não ensinam palavrões é por que não estuda ou não vive o século XXI. Eu gosto é do barulho baby, gosto da multidão enlouquecida e do mundo que não tenho em mãos. Eu gosto é do estrago. Gosto da chuva acida e das tardes de sol que me queimam a face, ignoro o protetor, gosto de viver ao extremo e do extremo sul ao extremo norte ando me apaixonando, bem baby, perdão, mas por gostar de estrago estraguei este coração que me foi dado, meu pulmão sequer filtra o ar da cidade, meus tímpanos estão estourados, minha visão está estragada, as minhas veias andam entupidas, entupidas de saudade. Qualquer dia enfarto. Mas saiba baby que eu amo é o estrago.
"Eu gosto é do estrago" Alêh Lima. (via oxigenio-dapalavra)

(Source: conotos)

Reblog this
281 notes   -   Posted 2 months ago

O mundo é pra quem nasce para o conquistar. E não para quem sonha que pode conquistá-lo.
Fernando Pessoa.  (via romanteios)

(Source: sutilizar-se)

Reblog this
1,064 notes   -   Posted 2 months ago

Theme made by Max davis.